3 Dicas para se Adaptar às Novas Regras do e-commerce

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

DicasAtendimento 24 horas e direito de devolução por arrependimento estão entre as novas exigências.

Começaram a valer hoje as novas regras do comércio eletrônico e quem tem uma loja virtual deverá se adaptar rapidamente, pois a fiscalização já está acontecendo.


As normas não fazem distinção em relação ao porte da empresa, portanto as mesmas regras que valem para os grandes varejos são aplicadas também aos pequenos lojistas. O descumprimento pode acarretar em multas e até mesmo em suspensão das atividades.

Agora todo e-commerce é obrigado a disponibilizar claramente informações da empresa, como CNPJ e endereço físico, caso seja solicitado. As descrições de produtos e serviços também têm de ser bem claras – potenciais riscos ao consumidor e possíveis “custos escondidos”, como entrega e seguro, devem ser explicitados. A quantidade disponível de cada produto em estoque também deve ficar visível.

Além disso, o lojista deve prestar atendimento e suporte ao cliente em tempo integral – ou seja, na escala de 24 horas x 7 dias por semana. Ele também é obrigado a estornar o valor da compra caso o cliente se arrependa em até sete dias.

“Se adequar às normas não parece tarefa fácil, em um primeiro momento. Mas, com o tempo, as pequenas empresas vão perceber que este era o empurrãzinho que elas precisavam para se profissionalizar e gerar mais resultados”, afirma Rodrigo Zimerman, diretor de novos negócios da Direct Talk, desenvolvedora de soluções de atendimento eletrônico.

O executivo dá três dicas para os pequenos e médios empreendedores não levarem a pior com as novas regras:

Seja detalhista na descrição dos produtos

Quanto maior o número de informações sobre os produtos, incluindo exemplos de uso, menor será a chance de o cliente se arrepender da compra. “As demonstrações de produto via web, que já são comuns nos EUA, devem ser aplicadas a fim de evitar o prejuízo da devolução”, diz Zimerman.

Responda as reclamações com agilidade

O termômetro do governo é o número de reclamações oficiais que a empresa tem. Dificilmente uma empresa sem reclamações será multada. Portanto, não deixe nenhuma reclamação do cliente sem resposta e monitore canais onde ele possa expressar sua insatisfação – como as redes sociais e o ReclameAqui.

Ferramenta de atendimento virtual

Se o tamanho da equipe e a escala de funcionários não permite ter pessoas disponíveis para o SAC, a solução é automatizar. Um robô com inteligência artificial que responde às perguntas do cliente automaticamente é um artifício já utilizado pelas grandes empresas. Para tornar o serviço acessível a lojistas menores, há empresas que oferecem soluções em que o empreendedor paga por atendimento efetuado, incluindo a Direct Talk.


Fonte: PEGN

 

 

 

 

 

 

 

Seu negócio hoje está:


Representante, entre aqui!