Aceleradora ou Incubadora de Startups?

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Qual a diferença entre uma aceleradora e uma incubadora de startups?

Por definição, a diferença entre uma aceleradora de startups e uma incubadora é simples: aceleradoras trabalham com startups que já estão em processo de crescimento ou validação de acordo com a jornada do empreendedor, e incubadoras ajudam empreendedores em um estágio mais inicial de ideação até o começo da validação.

Mas é muito melhor contar essa história por meio de um relato de um empreendedor que passou por uma incubadora antes de acelerar.

A FindMe é uma startup que faz monitoramento inteligente de equipes de segurança privada em tempo real e passou pela ITNC/IFRN (Incubadora Tecnológica Natal Central) antes de ser selecionada para a primeira turma de aceleração da ACE Start, programa de validação da Melhor Aceleradora da América Latina.

Diogo Vinícius, CEO da FindMe, contou um pouco das diferenças entre incubadora e aceleradora na pele.

A incubadora

Pois bem, vamos voltar para outubro de 2014, quando iniciamos o nosso processo de incubação. Recém-saídos com o 3° lugar no Startup Weekend Natal, a FindMe foi aprovada no processo seletivo da ITNC. Além da euforia dessa importante conquista, o pensamento inicial de toda a equipe foi de que tínhamos pelo menos um bom lugar com internet para trabalhar pelos próximos 30 meses. Mas era mais que isso!

O processo de incubação foi essencial para a FindMe. Primeiramente por acontecer no IFRN (Instituto Federal de Tecnologia do RN), ou seja, ambiente acadêmico e extremamente inspirador, onde pudemos ter contato direto com professores e alunos sedentos por conhecimento e inovação.

Outro fator muito importante foi a convivência diária com os empreendedores das outras empresas, que, como nós, estavam iniciando as jornadas das suas respectivas startups.

Além de tudo isso, tínhamos oficinas nas áreas financeira, pessoal, tecnológica e marketing, que ajudaram bastante no aprimoramento daquela, até então, ideia. Além de visitas periódicas de empreendedores que nos contavam seus cases, o que servia de aprendizado e inspiração.

Enfim, não era apenas uma sala com internet!
Como o próprio nome diz, assim como uma incubadora de bebês, que ainda não estão preparados para o convívio saudável na vida real, uma incubadora de startups tem o objetivo de estruturar melhor aquela ideia inicial, deixá-la mais robusta, além de preparar melhor os empreendedores para encarar o grande desafio que está por vir, o mercado.

Mas, combinamos desde o primeiro dia que entramos naquela sala que um processo de 30 meses era muito tempo para a nossa startup. E estávamos certos. Recebemos a graduação do processo de incubação após 18 meses de incubação.

Foram muitas validações, visitas a clientes, pivotadas, discussões acaloradas até encontrarmos o modelo de negócio e o produto que estava apto a ser comercializado.

E aí vem uma nova fase para a nossa empresa. A aceleração.

A Aceleradora


Achamos que era a hora de dar passos maiores e mais rápidos. Para isso, precisávamos do apoio de pessoas experientes, habilitadas e que soubessem, melhor do que nós, como crescer rapidamente e, sobretudo, de forma sustentável. Resolvemos aplicar para o processo de aceleração da ACE e fomos aceitos.

E essa mudança de mindset foi a maior diferença entre a incubação e a aceleração.

Lá o objetivo principal era aprender, amadurecer e validar. Não que aqui não continuemos aprendendo, amadurecendo e validando. Todo esse processo deve ser contínuo, independente do estágio da empresa. Porém, acrescente a tudo isso uma pitada generosa de cobrança por planejamento estratégico, KPI’s e vendas.

Outro ponto bastante importante que posso destacar, é a possibilidade das startups aceleradas entrarem em contato direto com investidores e executivos de grandes empresas nacionais e internacionais.

Isso torna-se ainda mais legal quando o Grupo Algar, uma das corporações mais inovadoras do Brasil, com atuação em várias verticais, como telecom, agronegócio, aviação, energia solar e segurança, em operação no Brasil, Argentina, Chile e Colômbia, topa participar ativamente do nosso processo de aceleração, em parceria com a ACE, no programa ACE Corp.

Até agora foram apenas três meses, que mais parecem 3 anos. Como eu falei anteriormente, o negócio aqui é acelerado de verdade.

Ficam aqui os meus sinceros agradecimentos aos que fazem a ITNC, que cumpriram o seu papel conosco. Fica também a responsabilidade de dar a nossa contribuição para entregar uma ACE melhor do que encontramos, às próximas turmas de aceleração.

FONTE: ACE



Representante, entre aqui!