Aplicativo de Mesada Digital

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

Negócio aposta na gamificação para trabalhar educação financeira com os pequenos.

Pagar pelos seus próprios brinquedos, O brinquedo foi adquirido com as moedas que ele recebia semanalmente do pai. 

A empresa criou um aplicativo em que os pais podem transferir, por meio do cartão de crédito, uma quantia em dinheiro para a carteira digital dos filhos. Criado em 2018, o app conta com quase dois mil usuários e 2,5 mil downloads. O público-alvo são crianças e adolescentes de cinco a 14 anos.

Economia na palma da mão
Para usar a plataforma, os responsáveis precisam cadastrar as crianças e definir o valor da mesada.

No início, o sistema só tinha a funcionalidade de remunerá-las por atividades realizadas – isto é, se os filhos arrumavam a cama, guardavam os brinquedos ou lavavam a louça. Cada ação tinha uma recompensa diferente e as próprias crianças marcavam se concluíram as atividades.
Com o tempo, o empreendedor percebeu que poderia investir em novos serviços. O app passou então a permitir a transferência de mesadas fixas, que a criança recebe independentemente de executar ou não uma tarefa.

Para conquistar o público mirim, a plataforma aposta no lúdico e na gamificação. Se a criança quer juntar dinheiro para comprar um brinquedo, por exemplo, precisa alcançar determinados pontos. No app, uma barrinha mostra o progresso até atingir o objetivo. “Tudo que envolve pontuação, podemos considerar um processo de gamificação”, afirma o empreendedor.

Após economizar sua mesada, a criança pode ir às compras. Hoje, a loja do app funciona no formato de marketplace, no qual os usuários mirins escolhem seu produto e pagam diretamente pela plataforma.

Futuramente, a ideia é expandir. Segundo Schroeder, a empresa está negociando parcerias com alguns estabelecimentos. O intuito é possibilitar a compra por meio de um QR Code. Além disso, já está nos planos da startup ter um cartão pré-pago.

Outra inovação do negócio é a opção de criar uma poupança. “A proposta é usar um fundo de investimento, permitindo que o responsável subsidie uma parte do valor para que a criança perceba a rentabilidade mais rápido. É uma maneira de estimulá-las a ter o hábito de investir”, diz o empresário.

Para monetizar o negócio, a startup cobra uma taxa pela transferência da mesada e outra a cada compra realizada dentro da sua plataforma. Há também um plano premium de R$ 7,90. Nela os reponsáveis podem acessar mais funções, como a de adicionar mais crianças à sua conta.

Destaques

Índices Financeiros

Em tempo real.
I n v e s t i n g . c o m

Bolsas de Valores
Commodities
Principais Ações
Resultados Divulgados

Cotação Real (R$)
Criptomoedas

Calendário Econômico

Comunidade Almes

revistas em quadrinhos.
digitalizadas e gratuitas.
♥ ♥ ♥ diversos modelos...!!!


Representante, entre aqui!