Divulgar seu Empreendimento pelas Mídias Sociais

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Publicidade Como divulgar seu empreendimento inovador pelas mídias sociais.

Hoje eu estou em Foz do Iguaçu para uma grande responsabilidade e honra. Fui chamado pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec) para falar sobre o potencial e impacto das mídias sociais na hora de divulgar negócios inovadores.



Para quem acompanha o site da revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios sabe que já falo bastante sobre o tema aqui no blog Só na Social, mas resolvi escrever, de forma resumida, o que uma empresa precisa ter em mente na hora de estabelecer uma estratégia em mídias sociais.

A primeira pergunta que toda empresa deve se fazer antes de se jogar nesse universo é: meu negócio precisa estar nas mídias sociais? Nós publicamos na edição de agosto uma matéria com dez mitos do empreendedorismo e um deles era sobre a presença nas mídias sociais. E a resposta foi sim, é um mito achar que toda empresa precisa estar presente nesses ambientes.

Antes de mergulhar nas mídias sociais – só porque seus concorrentes também estão fazendo isso –, a empresa e sua equipe de comunicação deve fazer um estudo do seu público-alvo e saber se ele faz uso dessas ferramentas. Essas mídias são sociais, então por que investir tempo e dinheiro para tentar criar um diálogo com pessoas que não estão nem ali?

Depois disso a empresa precisa entender três características importantes desses ambientes. Para isso vou usar uma pergunta antiga: qual a diferença entre mídia e rede social? Discuti essas definições neste post, mas hoje em dia os dois termos são utilizados como sinônimos e acho que o debate sobre essa diferenciação não tem mais tanta importância. O importante é não perder o foco nessas três palavras: mídia, rede e social. Porque para uma boa estratégia em mídias sociais a empresa precisa:


Mídia: entender as especificidades, o jeito de se comportar em cada mídia, em cada meio em que você for trabalhar a imagem da sua empresa. No infográfico abaixo, que fizemos para a matéria de capa de outubro de 2011, você pode ver alguns desses padrões de comportamentos.

Rede: entender as pessoas que formam sua rede dentro dessas mídias. O que elas querem, o que elas buscam, o que elas merecem e como tratá-las para que elas se tornem parceiras, colaboradoras e não meramente clientes.

Social: obviamente o grande diferencial dessas mídias e dessa nova era que estamos vivendo é o social. A possibilidade de interagir, de receber feedback, de criar diálogos, de ampliar sua voz. Tudo isso com uma velocidade anteriormente impensada.

Depois que você mentalizar essas três palavras como um mantra budista, sua empresa pode partir para aproveitar o poder dessas mídias, incorporado em três estratégias básicas:

Conteúdo
Para quem trabalha em mídias sociais sabe que essa palavra é um das mais importantes em qualquer estratégia de uma empresa. O conteúdo é o que move, que promove o engajamento e as interações com seus consumidores e clientes. Vale lembrar que esse conteúdo nunca pode ser apenas sobre a empresa, mas sobre o universo em que a empresa está inserida. Se você é uma startup que oferece serviços meteorológicos, você precisa falar sobre as atuais desastres em diversos países, problemas ambientas e sustentabilidade. E você não precisa ser apenas produtor. A empresa também deve ser curadora de informações que ela ache relevantes e que possam interessar os seus clientes. Isso cria um público mais cativo e fiel.

Interação
Desde o primeiro momento que você tentar criar uma conexão com seu público via mídias sociais, e assim criar uma rede, você precisa manter uma canal de diálogo aberto com essas pessoas. E a conversa não pode ser unilateral! Ao criar conteúdo de forma constante, você também precisa ouvir o que seus consumidores têm a dizer. Então, se algum cliente mandou alguma mensagem ou entrou em contato com sua página no Facebook – seja uma crítica, uma dúvida ou mesmo para elogiar –, não se esqueça de responder e reconhecer a importância dessa interação.

Colaboração
Depois que você conseguir criar essa rede e começar interações, utilize essa ajuda para melhorar sua empresa. Eu tive oportunidade de entrevistar Eric Ries, autor do livro Startup Enxuta, cuja teoria baseia a criação de um produto ou serviço no feedback dos seus clientes. Perguntei para ele se ele achava que os negócios deveriam ser mais colaborativos e foi isso que ele me respondeu: “Sem dúvida, os clientes são os parceiros. Sem eles, o produto não precisaria existir. Você deve saber o que se passa na cabeça do consumidor, o que ele pensa sobre o produto, como ele usa ou usará o produto, quais as necessidades e as opiniões dele. Claro que esses dados coletados devem ser bem filtrados e desenvolvidos.” Fui mais longe e perguntei qual era o papel das mídias sociais nesse processo: “As redes sociais são uma ferramenta sensacional para isso. São baratas e rápidas, com dados consistentes. Você terá um acesso e uma proximidade que ajudarão muito na hora de conseguir esse feedback. As redes também têm a capacidade de definir um grupo de consumidores, ou seja, elas conseguem atingir aqueles que realmente usam ou usarão seus produtos.”

Esse é o ponto a que eu queria chegar. Mais de que um meio de divulgação, as mídias sociais podem ser um meio de construção das suas empresas. Elas não podem ser apenas muletas para tentar aumentar suas vendas ou conseguir notoriedade.

 

Fonte: PEGN

 

Investidores On-line

Temos 1665 empreendedores e Nenhum membro online

Últimas Notícias

16 Setembro 2019
16 Setembro 2019
16 Setembro 2019
Em que mídia publicitária você mais investe?


Representante, entre aqui!