Aposte na Qualificação

Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Resultado de imagem para calçados pngDONA DE LOJA DE CALÇADOS APOSTA NA QUALIFICAÇÃO PARA CONTINUAR NO MERCADO
A alagoana Kalina Moura sempre investiu em cursos e hoje é auxiliada pelo programa Agentes Locais de Inovação (ALI)

Experiência em gestão de empresas não faltava a Kalina Moura quando abriu uma loja de calçados e acessórios, em 2014, em Maceió (AL). A empreendedora, que é formada em Turismo, já tinha dividido o comando de uma agência de viagens com uma amiga, em 2012, mas não foi pra frente.

“Agora é diferente, meu empreendimento é familiar e conto com o apoio de meu irmão e de meu pai”, relata. Com foco no atendimento e fidelização de clientes, ela buscou no Sebrae um apoio para que, desta vez, aumentem as chances de sobrevivência do negócio.

Desde janeiro do ano passado, a Kalina Moura Calçados e Acessórios é acompanhada pelo programa Agentes Locais de Inovação (ALI), do Sebrae. Com apoio da instituição, ela já aplicou diversas mudanças, como melhoria da gestão e do marketing digital, reformas do espaço e organização de vitrines e a implantação do serviço de delivery. “O ALI abriu muitas portas. Sempre prezei pelo bom atendimento e por fidelizar o cliente, mas sei que não é tudo. Fizemos muitas modificações, principalmente em tecnologia”, conta.

Desde que se tornou empreendedora, Kalina investe em qualificação e cursos como técnica de vendas e o Empretec – metodologia da Organização das Nações Unidas (ONU) aplicada pelo Sebrae, em que o participante faz uma imersão de vários dias e aprende a trabalhar suas características empreendedoras.

Além do pai e do irmão, a loja conta com mais um colaborador que também participa das capacitações do Sebrae. “Acho o trabalho do Sebrae fantástico. É completo: ele te ensina tudo, desde registro de marca até gestão e divulgação da empresa”, comenta.

Apesar de estar apreensiva com a repercussão da crise econômica no faturamento da empresa, a empresária, que é casada e mãe de dois filhos, acredita que o movimento pode aumentar no fim de 2017. “Este ano, sentimos muita dificuldade e as vendas diminuíram, mas acredito que as coisas vão melhorar com o Natal e Ano Novo”.

 

 

___________________________________

 Relacionado

___________________________________

+ Recentes
+ Requisitados