Evento em São Paulo Mostra Ideias Criativas de Startup

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Startup De serviços de hospedagem a refeições, conheça empresas em que os clientes têm participação decisiva.

Com a internet e as redes sociais, as pessoas se tornaram importantes nas redes – agora, elas têm um canal direto para entrar em contato com as empresas. A rede é a plataforma em que os usuários elogiam, criticam e sugerem produtos e serviços criados pelas companhias. Nesse contexto, ganhou força o crowdsourcing, termo que designa a colaboração feita em massa.



Percebendo a força da multidão, as empresas passaram a se aliar aos seus clientes para inovar. Entre os dias 2 e 3 de julho, aconteceu em São Paulo a Conferência Crowdsourcing, que recebeu palestrantes de empresas como Nokia, IBM, Tecnisa e 3M. Shaun Abrahamson (foto), CEO da consultoria Mutopo, que realizou o evento, falou de projetos interessantes que surgiram nos últimos anos, todos baseados na colaboração da multidão. Conheça alguns deles:

AirBnB – este é um serviço de hospedagem online. O diferencial da empresa é que o usuário não faz buscas por hotéis no site, e sim por casas: no site, estão à disposição casas, apartamentos e cômodos em mais de 25 mil cidades espalhadas pelo mundo. Segundo o CEO da Mutopo, a ideia é perfeita para ele, que não concorda com o preço abusivo praticado pelos hotéis. “Atualmente, a AirBnB está investindo bastante em segurança, para que todos que usam o site tenham um cadastro e possam ser responsabilizado caso algo aconteça”, diz. O site já tem uma versão em português e abriu um escritório no Brasil neste ano.

TaskRabbit - Outro exemplo de serviço em que a participação das pessoas é o TaskRabbit. O aplicativo, disponível para iPhone, tem um conceito bem simples: usuários pagam para que outros façam algo em seu lugar, como fazer compras ou passear com o cachorro. O TaskRabbit tem um sistema de reputação, algo bem comum nesse tipo de negócio. Quem procurar por um serviço e encontrar alguém para fazer a tarefa poderá saber se o “tarefeiro” é confiável ou não. Por enquanto, o serviço está disponível apenas em algumas cidades dos Estados Unidos.

Mealku - Criado por investidores de Nova York que não estavam mais satisfeitos com a qualidade das refeições dos restaurantes, o Mealku surgiu para satisfazer os amantes de comida caseira e evitar desperdícios. Para participar, é simples: caso o usuário cozinhe algo (ou saiba que irá cozinhar em breve), bastar postar qual é o prato no site. Se alguém se interessar na iguaria, é a vez da equipe do Mealku entrar em ação. “Eles são os responsáveis por fazer a comida chegar ao destinatário”, afirma Abrahamson. Os cozinheiros não recebem nada por preparar a comida, mas podem ser alimentados por outra boa alma posteriormente. Por enquanto, nem os organizadores do serviço faturam com a troca de alimentos – no futuro, a meta é cobrar uma mensalidade e taxas de entrega por cada refeição.

Cuusoo - Quem brincou com Lego, na infância ou não, deve ter pensado em temas que a empresa deveria transformar nos famosos bonequinhos e peças de montar. Para isso, surgiu o Cuusoo, serviço em que qualquer um pode sugerir um tema, como um filme ou um jogo de videogame. Se a aceitação dos outros componentes da rede for positiva, a Lego pode pensar no projeto e levar ao mercado. “Nos Estados Unidos, a união dos usuários de videogame fez com que um projeto inspirado no game Minecraft se tornasse realidade”, diz Abrahamson.

Threadless – Uma loja de camisetas online. No entanto, ao contrário do que acontece na maioria delas, toda a linha de produtos é criada pelo público. Funciona assim: alguém que tiver uma excelente ideia de estampa pode mandar uma proposta para a equipe do Threadless. Depois, o projeto deve passar pela aprovação dos usuários do site por uma semana. Caso a ideia seja aprovada e se torne um novo produto da loja, o autor da ideia recebe US$ 2.000 (R$ 4.000) e mais US$ 500 (R$ 1.000) que podem ser gastos com produtos – o segundo prêmio pode ser trocado por US$ 200 (R$ 400) em dinheiro, caso o premiado prefira ter o dinheiro na mão.

 

Fonte: PEGN

 

Investidores On-line

Temos 1619 empreendedores e Nenhum membro online

Últimas Notícias

16 Setembro 2019
16 Setembro 2019
16 Setembro 2019


Representante, entre aqui!