......................

.................

.............

Você está aqui: Pagina PrincipalMundo dos Negócios

6 Coisas que Você Precisa Saber Antes de Comprar Dólar ou Euro

Uma parte importante do planejamento de viagem que geralmente é negligenciada é a compra da moeda estrangeira.

Muita gente não tem tempo para pensar em tudo e acaba deixando para trocar os reais por dólar/euro só no aeroporto, que na maioria das vezes possui a cotação mais alta…ou então pior, ao tentar trocar no aeroporto de destino, descobrem que lá não aceitam reais! Assim, pesquisar para comprar a moeda estrangeira é super importante para o sucesso da sua viagem, evitando contratempos e economizando seu dinheiro.

 

Acessando o Compara Câmbio você obtém a lista das casas de câmbio da sua cidade com as cotações atualizadas, evitando a perda de tempo de procurar e ligar para inúmeros estabelecimentos.

 

Depois de encontrar a casa de câmbio mais conveniente, existem 5 coisas que você precisa saber antes de fechar negócio:

 

1) Diferença entre Dólar Turismo e Dólar Comercial:

 

Dólar Comercial: é a taxa que as grandes empresas utilizam para fazer importação/ exportação de mercadorias.

Dólar Turismo: é aquele que compramos quando vamos viajar. A cotação do dólar turismo é sempre mais alta que o comercial. Compra de passagens aéreas em companhias estrangeiras, gastos realizados no exterior por meio de cartão de crédito/débito, recarga em cartão pré-pago e aquisição de moeda em espécie seguem a taxa do dólar turismo. Lembrando que as operações de compra/venda de dinheiro em espécie possuem IOF de 0,38%, e no cartão pré-pago (que pode ser feito em bancos ou algumas casas de câmbio) incide um imposto de 6,38%, o mesmo valor que recai sobre o cartão de crédito.

 

2) Onde comprar: é importante comprar/vender moeda estrangeira com empresas credenciadas no Banco Central. O chamado “câmbio paralelo” ou “câmbio negro”, além de ser crime passível de punição, não oferece nenhuma segurança, sendo que a chance de receber notas falsas é alta. O câmbio paralelo também não fornece o contrato de câmbio ou qualquer tipo de garantia. Realizando sua compra nas instituições credenciadas no BACEN, você também fica protegido, pois caso tenha algum problema e a casa de câmbio se negar a resolver, você pode recorrer ao BACEN e fazer uma reclamação. Todas as casas de câmbio cadastradas no Compara Câmbio tem registro junto ao BACEN, e neste link está disponível a lista completa.

 

3) Documentação: para compras até R$10.000,00 (dez mil reais), é necessário fornecer RG, CPF (em situação regular), endereço e telefone. Para compras acima desse valor, podem ser solicitados comprovante de renda, IR e o pagamento da operação deve ser feito obrigatoriamente por transferência bancária.

 

4) Dê preferência para notas pequenas: na hora de comprar o dinheiro na casa de câmbio, dê preferência para notas pequenas. São de mais fácil aceitação no comércio e caso você perca alguma nota, o prejuízo será menor. Já imaginou perder uma nota de 200 €? Tanto nos Estados Unidos como na Europa, você receberá muitas moedas de troco. Tente gastá-las lá, pois as casas de câmbio não compram moedas, apenas notas. Atenção: evite pegar notas de 500 €, pois elas são pouco aceitas, devido à alta taxa de falsificação dessa nota. Tenha em mente que nenhum taxista ou lanchonete vai aceitar uma nota dessas, por exemplo. Se não tiver jeito e você pegar uma nota de 500 €, procure usá-la para pagar contas de valor alto, como hospedagem.

 

5) Contrato de câmbio: é o comprovante da operação de câmbio, ou seja, da compra ou venda de moeda estrangeira. É muito importante solicitar esse documento para a casa de câmbio, pois ele pode ser exigido para comprovar a proveniência do seu dinheiro na imigração. Mesmo que você tenha comprado menos de R$10.000,00, é importante colocar o contrato de câmbio junto com os demais documentos de viagem, assim, se alguma autoridade o solicitar, você estará com ele nas mãos. Estar em posse do contrato de câmbio também é essencial no caso de receber notas falsas, já que ele é a comprovação de que você adquiriu as notas na casa de câmbio, e assim essa fica responsabilizada e obrigada a resolver o 

 

Bons tempos em que 1 dólar valia R$ 2,05

DESIGN_BY